Ministério do Meio Ambiente lança estudo sobre o Rio São Francisco
31 de agosto de 2018
Representantes da cadeia de proteína animal se unem para promover o uso correto de antibióticos
4 de setembro de 2018

Soluções tecnológicas deixaram de ser tendência para se tornar realidade no agronegócio brasileiro

Por Rodrigo Campos*

As vantagens da tecnologia no agronegócio são inúmeras, aumentando a procura de produtores de todo o país por novas soluções. O agronegócio brasileiro é um dos pioneiros na utilização de novas tecnologias. Dados da Secretaria Executiva da Comissão Brasileira de Agricultura de Precisão (CBAP) mostram que 67% das propriedades agrícolas do País utilizam alguma forma de tecnologia, seja na área de gestão dos negócios, seja nas atividades de cultivo e colheita.

Equipamentos conectados entre si pela Internet das Coisas (IoT) estão ajudando a monitorar as safras individuais, na análise mais eficaz da acidez do solo e na identificação das necessidades de nutrientes, por exemplo. As pesquisas também são muito importantes, auxiliando no desenvolvimento das plantações e na obtenção de grãos de qualidade.

Neste contexto, entender as funções e investir em análises dos sinais vitais das plantas é essencial para todos os agricultores que buscam por excelência em suas colheitas. Entender a necessidade de cada cultura é um desafio e tanto, porém essa deve ser, antes de mais nada, a premissa dos que trabalham no campo e buscam aumentar sua lucratividade, oferecendo produtos de qualidade.

As projeções mercadológicas apontam para um cenário positivo e crescente da utilização biodefensivos destinados ao manejo integrado de pragas com perspectivas de que dobrem ou até tripliquem nos próximos 10 anos em escala global. Isso porque, os profissionais estão começando a entender sua importância e benefícios a médio e longo prazo.

A Agricultura 4.0 é outro tema bem recorrente. O conceito envolve todas as etapas da produção, desde a capacitação das pessoas envolvidas até a utilização de ferramentas que permitam que todos os segmentos da cadeia produtiva agrícola trabalhem de maneira integrada.

Hoje, podemos monitorar quilômetros de hectares por meio de smartphones, tablets e computadores, com aplicativos de controle de plantação, maquinário automatizado, sistemas de gestão de insumos. Temos uma infinidade de ferramentas na palma de nossas mãos.

Enfim, trata-se de uma verdadeira rede rural de transformação. Tenho certeza que, para os próximos anos, teremos ainda mais inovações. Vale a pena acompanhar!

* é Gerente de Marketing da Fast Agro, empresa focada no desenvolvimento de soluções para a fisiologia das plantas.