Ribeirão Preto/SP recebe abertura da safra de cana 2018/19
6 de março de 2018
UE e Hong Kong pedem explicações sobre irregularidades divulgadas pela Carne Fraca
7 de março de 2018

Recuperação de nascente beneficia famílias de São Desidério

Divulgação Abapa

Projeto conta com apoio da Prefeitura e de associações de produtores do oeste da Bahia. 

Herbert Regis*

Divulgação Abapa

A manhã da última sexta-feira, 02, vai ficar na memória de ‘seu’ Manoel de Souza, 87 anos, há cinquenta morador da localidade de Alegre, no município de São Desidério/BA. Ele fez questão de acompanhar de perto cada passo dado pelas equipes de brigadistas da Secretaria de Meio Ambiente até a conclusão total, com limpeza e isolamento de uma nascente de rio que fica aos fundos do terreno em que produz mandioca, quiabo, milho e outras culturas, e de onde sempre tirou o sustento para criar os onze filhos.

O agricultor conta que a nascente ficava em outra área, há pouco mais de 20 metros da que foi recuperada; porém desapareceu depois do assoreamento provocado pelo o gado que pisoteou o local levando terra, folhas e lixo, que cobriram a fonte. Agora, toda a área ao redor na nova nascente foi cercada graças ao Projeto de Recuperação de Nascentes, executado por meio de um acordo de cooperação técnica entre a Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), a Associação dos Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba) e prefeituras da região oeste da Bahia. O aporte financeiro garante aos municípios, recuperar nascentes de rios em situação de risco.

A nascente da localidade de Alegre é a terceira de São Desidério contemplada no projeto; outras 13 ainda serão beneficiadas. Somente naquela comunidade, 12 famílias passarão a contar com água de qualidade, vinda da fonte, agora devidamente isolada com a utilização do método Caxambu, que tem como base, a proteção do veio da água. “Utilizamos barro, cimento e pedras, realizamos a limpeza geral e o isolamento para evitar a entrada de bichos e sujeira. A água é retirada por meio de um cano, armazenada em uma caixa d’agua de onde será distribuída para as casas da localidade”, explicou o secretário de meio ambiente, Joacy Carvalho.

Nesta área não houve necessidade de plantio de mudas de árvores típicas do cerrado, porque o local está bem preservado; apenas a utilização do cercamento e do isolamento do local onde o lençol freático aflora. “O incentivo na recuperação das nascentes, juntamente com a adoção de técnicas de produção sustentáveis, mostra o quanto os agricultores estão preocupados com os rios e com o meio ambiente”, diz o presidente da Abapa, Júlio Cézar Busato. “É gratificante saber que tanto o ‘seu’ Manoel quanto os moradores de Alegre terão mais dignidade com a tão esperada chegada da água em suas casas”, completa.

Além de São Desidério, os agricultores começam a negociar a recuperação de nascentes junto às autoridades de municípios vizinhos, como Barreiras e Riachão das Neves.

• Jornalista e assessor de imprensa da Abapa.