Brasil será reconhecido pela OIE como livre da febre aftosa
3 de abril de 2018
Sergio Ranalli/Pulsar
Colheita da safra de soja alcança 74% da área e do milho 63%
4 de abril de 2018

Produtor rural ganha plataforma de auxílio à recomposição ambiental de sua propriedade

WebAmbiente reúne informações de 782 espécies nativas de todos os biomas brasileiros

WebAmbienteHá cerca de cinco anos, um trabalho de levantamento de espécies nativas dos biomas brasileiros iniciado por oito unidades da Embrapa em parceria com os Ministérios do Meio Ambiente (MMA) e da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), originou o WebAmbiente, um sistema de informação interativo de auxílio a tomadas de decisão no processo de adequação ambiental da paisagem rural, e que contempla o maior banco de dados já produzido no Brasil sobre espécies vegetais nativas e estratégias para recomposição ambiental. “A ideia desta plataforma surgiu na época do lançamento do Novo Código Florestal (2012), quando, então, começamos a pensar em como a Ciência poderia ajudar o produtor rural a atender as demandas da lei e, ainda assim, pudesse ter algum retorno econômico”, explica José Felipe Ribeiro, pesquisador da Embrapa Cerrados e coordenador do trabalho de elaboração da ferramenta.

Totalmente gratuita e disponível na internet, o WebAmbiente reúne informações de 782 espécies nativas, oferece sugestões de estratégias de recomposição e uma lista de espécies para adequação ambiental do imóvel rural a partir de algumas respostas dadas pelo produtor rural. “O produtor tem acesso a todo este banco de dados somente com um cadastro de dados, como localização, tamanho da propriedade, tipo de vegetação, se há ou não remanescente, planta invasora etc”, diz Ribeiro. “Além disso, a ferramenta não é limitada à uma área ou a um CPF”, completa.

De acordo com o pesquisador, as recomendações do WebAmbiente podem ser usadas tanto para a elaboração de projetos de recuperação ambiental, quanto para auxiliar na adequação de propriedades rurais às normas do Código Florestal. “Ela tem como público-alvo o produtor e também quem vai fiscalizar sua área”, acrescenta.

O levantamento das informações sobre as espécies nativas teve início no Cerrado, bioma que acabou servindo de modelo aos demais. “Hoje, o bioma de que temos menos informações é a Caatinga, com 42 espécies catalogadas. Até o fim deste ano, queremos que este número salte para 120”, anseia Ribeiro. “Este é um banco de dados alimentado diariamente por muitos especialistas, que estão dentro e fora da Embrapa”, conta.

“Este é um trabalho que deve ser feito em conjunto, pela Ciência, pelo Governo e pela sociedade. Quando se tem uma lei como o Código Florestal, alguém está decidindo pelo produtor o que ele deve fazer e isso, obviamente, reflete no que ele produz”, diz o pesquisador. “Temos hoje cerca de 5 milhões de propriedades rurais. Nossa expectativa é de que pelo menos 10% deva procurar pelas informações que temos neste banco. Estamos nos preparando para isso”, finaliza.