Projeto de Segurança Alimentar com pescadores artesanais do Tocantins apresenta os primeiros resultados
24 de junho de 2016
FEACOOP 2016 apresenta unidade de referência tecnológica em ILPF
27 de junho de 2016

Gigantes do mercado anunciam suspensão da venda de refrigerantes em escolas

Medida vale a partir de agosto e tem como objetivo contribuir para a redução da obesidade infantil
Redação*
OLYMPUS DIGITAL CAMERANa última quarta-feira (22), Coca-Cola Brasil, Ambev e Pepsico anunciaram, de forma voluntária, a suspensão da venda de refrigerantes em cantinas de escolas com alunos de até 12 anos de idade. A medida vale a partir de agosto.
De acordo com a nota divulgada à imprensa, as empresas reconhecem que bebidas e seus produtos são promotores da obesidade e colocam-se como “parte da solução”. Diz ainda que a ação valerá para as cantinas que compram diretamente de fabricantes e de seus distribuidores e que, para os pontos de venda que se abastecem em supermercados e redes de atacados, haverá uma ação de sensibilização junto a esses comerciantes.
A nota diz também que as empresas poderão continuar vendendo “água mineral, suco com 100% de fruta, água de coco e bebidas lácteas que atendam a critérios nutricionais específicos”.
Projeto de Lei
Em 13 de junho, a Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados aprovou o projeto de lei (PL 1755/07) que proíbe a venda de refrigerantes nas escolas de educação básica (do primeiro ao nono ano), tanto em instituições públicas ou privadas. O projeto já havia sido analisado pela Comissão de Educação, onde foi rejeitado. Com a aprovação na CSSF, o projeto será analisado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania. Se aprovado, segue para o Plenário da Câmara dos Deputados.