Aquicultura brasileira será discutida na Zootec 2017
11 de maio de 2017
Consumo e produção em mudança
16 de maio de 2017

Conab e IBGE preveem safra recorde

Valter Campanato

Super safra se deve ao aumento de produção e de área cultivada

Redação*

exportação_soja em grãos_Valter CampanatoDe acordo com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a safra de grãos 2016/2017 deve chegar a 232 milhões de toneladas. O volume representa um crescimento de 24,3% em relação ao período anterior.

Segundo a Conab, a super safra se deve ao crescimento da área cultivada, que ainda pode ser ampliada em 3,5%, chegando a 60,4 milhões de hectares em todo o país.

Para a soja, a previsão de crescimento é de 18,4%, algo em torno de 113 milhões de toneladas, com ampliação de 1,8% de área plantada. O grão é responsável por 33,9 milhões de hectares cultivados.

O total de milho colhido pode chegar a 92,8 milhões de toneladas, 39,5% a mais com relação à safra de 2015/2016. A área total cultivada atinge os 17,2 milhões de hectares. A soja e o milho correspondem a cerca de 90% de toda a produção de grãos no Brasil.

O feijão também teve forte alta na produção, chegando a ter 33,5% de aumento com relação ao ciclo anterior. Já o trigo teve queda de 7,8% e a área de cultivo reduzida de 2,1 para 1,95 milhões de hectares.

IBGE

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontou que a safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas para este ano será 26,2% maior do que a de 2016, devendo atingir 233,1 milhões de toneladas, a maior da história.

Os dados indicam também que a estimativa da área a ser colhida é de 60,8 milhões de hectares, um crescimento de 6,5% diante da área colhida em 2016 (57,1 milhões de hectares). O arroz, o milho e a soja são os três principais produtos deste grupo, que, somados, representam 93,7% da estimativa da produção e responderam por 87,9% da área a ser colhida.

Ainda de acordo com o Instituto, em relação ao ano anterior, houve acréscimo de 2,4% na área de soja, de 16,5% na de milho e de 3,3% de arroz. Em relação à produção, houve acréscimos de 17,5% para a soja, 13,5% para o arroz e 46,8% para o milho.

*Com informações da Agência Brasil