A importância dos solos e o uso de fertilizantes para o desenvolvimento agrícola são discutidos em Congresso
25 de agosto de 2015
Artista inova misturando moda e comida
28 de agosto de 2015

Cosméticos são uso promissor do café apostam Cooxupé e AQIA

Cooperativa mineira, a maior do mundo na comercialização do grão, inova na diversificação e anuncia joint-venture com indústria de cosmésticos para produzir linha de ingredientes à base de subprodutos do café verde

óleo café

“Estou me sentindo realizada hoje”, anunciou a engenheira química especializada em Cosmetologia Sônia Corazza na manhã desta terça-feira (25) em São Paulo, no lançamento da linha da AQIA Coffee, que fornecerá ingredientes à base de óleo e torta de café verde da AQIA e Cooxupé. Razões não lhe sobram para comemorar: são 39 anos de dedicação ao estudo das propriedades dos subprodutos do café.

Sonia Corazza

A engenheira química especializada em Cosmetologia, Sônia Corazza.

O óleo de café verde tem propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, e a torta, ou biomassa, funciona com um filtro solar fazendo uma barreira física, não química, o que é uma vantagem e tendência na cosmetologia mundial, explica Sônia, com base em pesquisas feitas por instituições paulistas como a Unicamp, UNESP de Araraquara e a Universidade de São Paulo (USP). “Esses produtos podem ser usados com bons resultados em linhas para pele e cabelos, beneficiando especialmente os brasileiros, normalmente muito expostos ao sol”, afirma.

A busca de produtos multifuncionais ou polivalentes, capazes de realizar múltiplas funções ao mesmo tempo é outra tendência da Cosmética atual. Além da preocupação com a procedência, evitando-se usar produtos à base de petróleo que podem ser danosos ao ser humano e ao planeta. “A linha AQIA Coffee tem como base uma fonte renovável, nossa e ainda com certificado de procedência”, completa a consultora do projeto. “São só vantagens”, enfatiza.

Crescimento expressivo

A aposta no novo negócio tem base nos números de um setor que cresce a taxas bem mais expressivas que o restante da indústria: 9,2% ao ano nos últimos 18 anos, contra 2,8% do PIB e 1,9% da média da indústria nacional no período, de acordo com a Associação Brasileira das Indústrias de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec).

Alaor Pereira Lino

Alaor Pereira Lino, fundador e presidente da AQIA.

Alaor Pereira Lino, fundador e presidente da AQIA, com 30 anos no mercado, estima vendas de US$ 5 milhões já em 2016, no primeiro ano de comercialização dos produtos, chegando a US$ 25 milhões em 2020, representando um crescimento da ordem de 20% a 30% nos negócios.

Carlos Alberto Paulino da Costa, presidente da Cooxupé, diz que a cooperativa está sempre atenta a oportunidades de inovar para agregar valor à produção dos cooperados e que foi investido entre R$ 5 milhões e 7 milhões em pesquisas e na montagem de uma fábrica em Guaxupé/MG para o processo de extração do óleo de café verde para a indústria cosmética. “Estamos otimistas com esse novo modelo de negócios em que a Cooxupé é a primeira cooperativa de café no Brasil a fazer extração da matéria prima para novos nichos de mercado”, finaliza.