Plataforma quer ser vitrine de venda online para pequenos produtores
3 de outubro de 2020

Ação educativa une frigorífico e ONG em São Felix do Xingu/PA, prevendo reduzir queimadas

A Amigos da Terra – Amazônia Brasileira e o Frigol pretendem ainda, com a ação, mudar a imagem negativa de São Félix do Xingu e de Água Azul do Norte, onde o frigorífico possui unidades de abate

Redação*

São Félix do Xingu, no Pará, além de ser conhecido como o município líder em rebanho de bovinos no Brasil (2,5 milhões de cabeças) e o segundo em extensão territorial (84,2 mil km2), é também o segundo município do Bioma Amazônia com mais focos de incêndio: em 2019, foram 3.787 focos ou 8% de todo o bioma, segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisa Espacial (INPE). Até agosto deste ano, foram 2.574 focos (10% do total do bioma Amazônia), sendo que o período mais desafiador acontece entre setembro e outubro, época do auge da seca na região Norte do país.

Não se orgulhando dessa colocação no ranking das queimadas e visando a alterar esse quadro, a ONG Amigos da Terra e o Frigorífico Frigol estão lançando o Projeto de Ações para Diminuição de Queimadas, iniciativa de educação, informação e ações práticas para conscientização das comunidades de São Félix do Xingu e também do município Água Azul do Norte, a 185 km de distância, dos riscos das queimadas para o meio ambiente e para as pessoas.

O projeto inclui ações voltadas para a população, empresas e negócios, com destaque para as escolas, o comércio e a área da saúde, além de entidades de classe e funcionários e fornecedores das unidades de abate da Frigol nos dois municípios. O projeto terá pelo menos duas etapas. E estará dividido em duas etapas, sendo que a primeira começou em setembro e vai até novembro, no final da seca. A segunda começa em seguida, com oficinas para produtores rurais e pessoas das comunidades

“Temos cerca de 1.100 trabalhadores e 1.500 fornecedores em São Félix do Xingu e Água Azul do Norte, e queremos impactar a todos com o Projeto. O objetivo é que as pessoas recebam informações detalhadas sobre os riscos das queimadas e uso do fogo e que possam levar para suas famílias (colaboradores) e para as práticas em suas propriedades (fornecedores de gado)”, diz, em nota, Marcos Câmara, CEO da Frigol, quarto maior grupo frigorífico do Brasil. “É nosso papel como indústria trabalhar em parceria com organizações e entidades de classe para levar informações de qualidade para as pessoas. As queimadas causam prejuízos não apenas nas propriedades rurais, mas também nas cidades, impactando as pessoas”, completa.

Entre os materiais educativo, o Projeto de Ações para Diminuição de Queimadas utiliza cartilhas, cartazes, outdoors, comunicações audiovisuais e spots de rádio para atingir as comunidades dos municípios paraenses. “Na segunda etapa, pós-pandemia, estão programadas oficinas presenciais para levar orientações práticas para as pessoas dos dois municípios”, explica Luciane Simões, gerente de projetos da Amigos da Terra – Amazônia Brasileira.

Substituição do fogo por outras técnicas

O projeto tem como objetivos a diminuição do uso do fogo como prática agrícola e sua substituição por outras técnicas, o fortalecimento da produção sustentável, a redução do impacto ambiental e a integração dos vários elos envolvidos direta e indiretamente, fortalecendo o diálogo multisetorial. A Amigos da Terra afirma reunir experiência nesse tipo de iniciativa, afirmando ter conseguido reduzir pela metade dos focos de incêndio no sul do Pará em ação anterior nos mesmos moldes.

“O fogo é terrível sob todos os aspectos. Ele provoca danos à biodiversidade, amplia a incidência de doenças respiratórias, superlota a rede de saúde pública dos municípios, afeta a infraestrutura urbana e rural, pode causar prejuízos financeiros ao poder público e provoca danos irreparáveis à imagem das cidades”, afirma Mauro Armelin, diretor executivo da Amigos da Terra.

*com informações da assessoria da Frigol.